Chapillon Siendra

Vinho Tinto Espanhol Chapillon Siendra 2017

Safra 2017 - 750 ml
Aragão (Calatayud) - Espanha
93 pontos - James Suckling
Uva(s):
Garnacha, Syrah, Cabernet Sauvignon, Merlot,
Harmonização:
Carne vermelha, Carne de caça, Culinária ibérica, Queijos maturados,
Ocasiões:
Degustar devagar, Noite entre amigos, Para curiosos,
Amadurecimento:
12 meses em barricas de carvalho.
Temperatura de serviço:
18 °C
Volume:
750 ml
Tipo
Tinto
Corpo
Encorpado
Aromas
e sabores
Baunilha
Frutas negras
Flores
Especiarias doces
Associados
R$ 156,60
R$ 174,00
4x R$ 43,50 sem juros
Ou R$ 165,30 à vista no boleto
4 Unidades = R$ 156,60 por unidade
6 Unidades = R$ 149,64 por unidade
Informações sobre este rótulo

Aragão é uma região do nordeste espanhol, por onde passa um dos maiores rios da Península Ibérica, o Ebro. Trata-se de uma área com dimensões grandiosas, já que sua extensão vai desde a Cordilheira dos Pirineus (ao norte) até uma parte mais central da Espanha (ao sul). Isso faz com que o clima dali seja muito diferente de um local para outro, o que significa que a temperatura pode ser abaixo de zero nas proximidades dos Pirineus, enquanto o calor do verão é tórrido nas zonas mais próximas do deserto de Monegros.

Esses fatores não influenciam somente o tamanho das malas dos turistas que visitam a região, mas também o estilo dos vinhos elaborados em cada pedaço daquela terra. Uma das áreas vitivinícolas mais promissoras de Aragão fica no entorno da cidade de Calatayud, cuja denominação de origem carrega esse mesmo nome. Apesar do cultivo de vinhas ocorrer por ali desde o século II a.C., essa jovem D.O. foi criada apenas no ano de 1989, o que a torna uma das mais novas da Espanha.

A primeira referência escrita à distinta qualidade dos vinhos de Calatayud ocorreu no século I d.C. e seu autor é Marco Valerio Marcial, um historiador nascido na cidade romana de Bílbilis Augusta. Essa foi uma cidade próspera em seu tempo, sendo que, não à toa, os árabes fundaram o que hoje é Calatayud perto dela. Em suma, os romanos desenvolveram a vitivinicultura, os muçulmanos a abandonaram e os cristãos mais uma vez enfatizaram sua importância durante a reconquista como cultura colonizadora. 

Hoje os produtores de Calatayud têm plena consciência de que as condições extremas ditam o perfil de seus vinhos, inclusive eles se orgulham disso, afinal o lema da D.O. é “onde o impossível, se faz possível”. A imensa amplitude térmica não ocorre apenas entre o inverno gelado e o verão escaldante, mas também entre o dia e a noite, o ano todo. Isso sem contar nas tempestades que eventualmente ocorrem por lá.

Além da questão climática, as videiras também tiveram que se adaptar às cadeias montanhosas com 550m a 1000m de altitude e aos solos bem secos da região, compostos majoritariamente por ardósia, cascalho, argila e calcário.

O extraordinário resultado dessa complexa soma de fatores fez com que o francês Christophe Chapillon, originário do Vale do Loire, se inspirasse para criar vinhos autorais em Calatayud. Segundo ele próprio, seus rótulos carregam um cerne moderno, sem a preocupação de seguir um estilo local mais tradicional de vinificação. Por esse motivo, escolhi deles para que você prove a natureza selvagem deste pedaço especial da Espanha. Tente perceber as diferentes expressões de fruta e especiarias, a riqueza dos taninos, a acidez que deixa a bebida viva, por fim, o equilíbrio que nasce do caos.

by Sommelier Rodrigo Ferraz | Direitos Reservados

Newsletter

Receba nossas novidades e promoções por email