Portal Colheita

Vinho Tinto Português Portal Colheita 2017

Safra 2017 - 750 ml
Douro Valley - Portugal
Uva(s):
Touriga Franca, Touriga Nacional, Tinta Roriz,
Harmonização:
Cordeiro, Carne suína, Culinária ibérica, Queijos maturados,
Ocasiões:
Petit comité, Montanha e lareira, Degustar devagar,
Amadurecimento:
Pouco menos de 1 ano em barricas de carvalho.
Temperatura de serviço:
18 °C
Teor Alcoólico:
14.0 %
Volume:
750 ml
Potencial de guarda:
Acima de 10 anos.
Tipo
Tinto
Corpo
Encorpado
Aromas
e sabores
Frutas negras
Frutas vermelhas
Especiarias doces
Madeira
Associados
R$ 138,60
R$ 154,00
4x R$ 38,50 sem juros
Ou R$ 146,30 à vista no boleto
4 Unidades = R$ 138,60 por unidade
6 Unidades = R$ 132,44 por unidade
Informações sobre este rótulo

“...Ó gente ousada, mais que quantas

No mundo cometeram grandes cousas...”

Canto V de “Os Lusíadas”, escrito por Luís Vaz de Camões.

O trecho marca a fala do gigante Adamastor, outrora dominante no Cabo das Tormentas, vencido pelo ímpeto e pela coragem dos navegantes portugueses, que abriram caminho pelo agora Cabo da Boa Esperança. O gigante aponta a audácia daqueles que não repousam dos trabalhos e das batalhas, se atrevendo a romper os limites e a navegar por mares nunca antes navegados. Essa exata passagem está retratada de forma muito bonita no rótulo do Portal Colheita. Um vinho elaborado no Douro como um manifesto da destemida alma lusitana.

Para que entenda melhor a essência desse exemplar, vou relatar a você o histórico de sua criadora, a Quinta do Portal. Tal casa portuguesa, familiar e independente, abraça com paixão o conceito de “vencer barreiras”. Esse projeto materializou-se no início dos anos 1990 com base na Quinta dos Muros, uma propriedade centenária da família Mansilha, que vinha produzindo vinhos há 4 gerações. O plano era trazer inovação para a prestigiada região do Douro, sem negar as raízes, porém indo além dos já consagrados Vinhos do Porto. A partir dessa visão de futuro, os responsáveis pela Quinta do Portal fizeram parte do primeiro grupo da nova geração de produtores durienses que, em boa hora, acreditaram no potencial dos vinhos tranquilos da região. A espinha dorsal enológica desse programa inovador contou com Paulo Coutinho, enólogo da vinícola desde 1994, e nomes como Pascal Chatonnet (um dos maiores pesquisadores da enologia mundial) e o “Master Blender” Jeremy Bull.

Algum tempo após o início do projeto, foi adquirida também a Quinta do Casal de Celeirós, que acabou trocando de nome para Quinta do Portal. Essa propriedade de 15 hectares possui notáveis referências do final do século XIX. Em 1877, Henry Vizetelly, autor de Facts about Port and Madeira, chamava a atenção para o fato desta Quinta ainda não ter sido atingida pela praga filoxera. Já em 1886, o Visconde de Vilarinho de São Romão chamou-lhe de verdadeira Quinta Modelo e escreveu: “é o único exemplo que conhecemos de uma propriedade vitícola a atravessar incólume a crise da filoxera”. É também historicamente reconhecida por ter sido a primeira Quinta no Douro a empregar mulheres na pisa das uvas. Como um símbolo de perseverança histórica, a Quinta do Portal se tornou o principal reduto do projeto, onde hoje se concentra a vinificação de uvas provenientes de 5 terroirs distintos dentro do Douro, o armazenamento dos vinhos e o enoturismo.

Sejam elas acanhadas ou épicas, um brinde às conquistas de nossas vidas!

by Sommelier Rodrigo Ferraz | Direitos Reservados


Newsletter

Receba nossas novidades e promoções por email