Javascript - Habilite o javascript em seu navegador para poder logar e utilizar o site.
Blinking light Poste

Cabernet Sauvignon • Safra 2016 • Vinho

Il Casello Cabernet Sauvignon

Azienda Agricola Il Casello

Emilia-Romagna • Itália • 750 ml

Tipo
Corpo
Aromas e Sabores
Uva(s): Cabernet Sauvignon.
Harmonização: Embutidos, Massas, Pizzas, Queijos maturados.
Ocasiões: Degustar devagar, Jantar a luz de velas, Quem aprecia clássicos.
Envelhecimento: Pouco menos de 1 ano em tonéis de aço-inox.
Temperatura de Serviço: 18 ° C
Teor Alcoólico: 13 %
Volume: 750 ml

de R$98,00 por

R$ 89,00
Associado do Clube

R$80,10


CONHEÇA O CLUBE

A história da região italiana de Emilia-Romagna é riquíssima. Essa área já abrigou a capital do Império Romano e, durante um período da Idade Média, esteve sob o domínio do Império Bizantino. Seu solo foi o palco de diversas disputas, por se tratar de um ponto geográfico estratégico. O conflito mais notório se passou durante o governo do Imperador Diocleciano e sua perseguição sangrenta ao cristianismo, no início do século IV. Nesse evento seus próprios soldados foram aniquilados a seu comando, pois muitos deles compartilhavam da crença cristã e, ao descobrirem que não era apenas uma invasão territorial, se recusaram a ocupar o lugar. Entre atos de heroísmo e contato visceral com outras civilizações foi sendo construída a própria cultura do povo de Emilia-Romagna, que atualmente abriga um dos polos gastronômicos mais ricos e diversificados da Itália.  No quesito vitivinícola não poderia ser diferente disso, ali são produzidos alguns dos vinhos mais clássicos e autênticos do país, resultados de uma cultura milenar.


Hoje o meu convite é para que você prove uma casta francesa clássica ao estilo Emilia-Romagna. O que isso quer dizer? Vou tentar ajudar, apresentando a minha visão sobre o Il Casello Cabernet Sauvignon, produzido na província de Piacenza. Essa é a variedade Vitis Vinifera mais plantada do mundo e muito já se sabe sobre ela: rica em taninos, geralmente faz vinhos estruturados e depende de uma maturação tardia para não ficar com os indesejáveis aromas tão marcados da pirazina (pimentão). Quando lembramos dos argentinos, chilenos, americanos e até brasileiros feitos com ela, as primeiras referências geralmente são fruta intensa e potência. Pois então, o Cabernet Sauvignon de Emilia-Romagna não é assim. Trata-se de um exemplar gastronômico, com menor concentração de taninos e maior acidez. Aqui não estamos falando de estrutura, mas sim de elegância. Apesar de não ter passado por estágio em barricas, é um vinho que evolui de forma muito interessante na garrafa. Agora, para finalizar, só uma dica importante: harmonize esse vinho com comida, principalmente culinária italiana. Boa experiência!


Texto do Sommelier Rodrigo Ferraz - Direitos Reservados