Portal das Orquídeas Sangiovese 2021

Vinho Tinto Brasileiro VENA VITAE Portal das Orquídeas Sangiovese 2021

750 ml
Rio Grande do Sul (Barão) - Brasil
Uva(s):
Sangiovese,
Harmonização:
Antepastos, Carne suína, Tábua de frios, Queijos leves,
Ocasiões:
Tarde de picnic, Presentear alguém, Almoço em família,
Amadurecimento:
Pouco menos de 1 ano em tonéis de aço-inox.
Temperatura de serviço:
16 °C
Teor Alcoólico:
13.5 %
Volume:
750 ml
Potencial de guarda:
Até 10 anos.
Tipo
Tinto
Corpo
Leve
Aromas
e sabores
Frutas negras
Frutas vermelhas
Flores secas
Mineral
Associados
R$ 107,10
R$ 119,00
4x R$ 29,75 sem juros
Ou R$ 113,05 à vista no boleto
4 Unidades = R$ 107,10 por unidade
6 Unidades = R$ 102,34 por unidade
Informações sobre este rótulo

VENA VITAE, as veias da vida

Quanto mais mergulho nos ensinamentos do vinho, mais o encaro como uma cultura e não uma simples bebida. Um líquido vivo, capaz de trazer aromas e sabores da natureza e do tempo, para reunir pessoas queridas em torno de uma mesa, ser calor em noites frias à dois ou simplesmente servir de companheiro solitário em momentos de introspecção. Para cada ocasião, um personagem diferente, único. Ora, se conseguimos atribuir personalidade ao vinho, então ele pode representar o feitio de uma pessoa, o esboço de um caráter, a lembrança benquista de alguém que já se foi. Por que não!? Se existe vida em nossas taças.

Veja o caso do Bosque da Princesa Chardonnay, deliciosamente aromático, espantosamente descomplicado, acolhedor e gastronômico, para acompanhar tudo aquilo que você quiser comer. O vinho parece quase implorar por uma mesa farta de domingo em família. Isso me lembra muito a avó Adelina, que ficava horas no fogão, para receber a família com o almoço mais completo e bonito que se pode imaginar. Eu sempre corria pra cozinha, atraído pelo cheiro gostoso que vinha de lá, pra ver a vó finalizando suas delícias. De quebra, ainda conseguia pegar alguma coisa direto da panela, que ela própria oferecia. Era praticamente uma avant-première do que estava por vir, exclusivo para netos. Depois era só limpar os dedos e os beiços com os panos de prato, coloridos pelas flores que ela mesma pintava.

O marido da vó Adelina era o vô Irineu, que nos fins de semana adorava colocar os netos todos em seu Monza azul e dirigir até a chácara para passar o dia. O caminho até lá era divertido, porque ia todo mundo cantando os sucessos da fita cassete do Raça Negra. Quando a gente passava o pórtico do sítio, começava sempre o mesmo ritual: o vô pegava as varas de bambu para pescar as tilápias do laguinho, enquanto os netos iam pro campinho ou pra piscina, era sagrado. Quando todo mundo já estava com um pouco de fome, entrava em ação o apetitoso petisco preparado pelo vô: queijo cortado em cubinhos com orégano e salaminho fatiado com limão espremido por cima. Sabe o que ficaria incrível pra harmonizar com isso tudo? O Portal das Orquídeas Sangiovese, um camarada informal, leve, sem frescura e boa gente. O vô Irineu teria adorado conhecer esse vinho, afinal, era bem assim como ele.

Na família tem também a figura inesquecível do vô Sodero, médico e fazendeiro raiz, que amava por igual os dois ofícios, as pessoas e os animais. Quando eu vim para esse mundo, ele estava na sala de parto, e, quando ele se foi, eu tive o privilégio de ser o último neto a conversar com ele. Casualidades da vida. Hoje, um pouco mais maduro, me espanta a existência de alguém como o vô Sodero, capaz de ensinar tanto, sobre tantas coisas. Entre elas, saber dar valor às origens e ao poder da dignidade, respeitar a natureza e desfrutar daquilo que ela nos traz, além do mais importante, que ele sempre gostava de repetir no almoço de Natal: “a família unida é a maior riqueza que um homem pode ter”. Um ser humano assim é pura complexidade, com inúmeras facetas igualmente importantes, onde a terra batida é tão marcante quanto a fruta mais limpa e brilhante posta à mesa. Só mesmo a Nebbiolo para chegar perto disso, só mesmo do Lageado para representar o vô Sodero.

“A essência da alma transcende a medida do tempo, percorrendo o infinito com a fluidez de uma pena ao vento. Sorte daqueles que conviveram com os bons, pois os carregarão dentro de si por toda sua existência. Essa é a veia da vida.”

by Sommelier Rodrigo Ferraz | Direitos Reservados


Newsletter

Receba nossas novidades e promoções por email