Viña Amalia Reserva Malbec

Vinho Tinto Viña Amalia Reserva Malbec 2015

Safra 2015 - 750 ml
Mendoza (Valle de Uco) - Argentina
Uva(s):
Malbec,
Harmonização:
Carne vermelha, Queijos maturados, Culinária ibérica, Massa com molho intenso,
Ocasiões:
Petit comité, Degustar devagar, Montanha e lareira,
Amadurecimento:
12 meses em barricas de carvalho.
Temperatura de serviço:
18 °C
Teor Alcoólico:
14.5 %
Volume:
750 ml
Potencial de guarda:
Acima de 10 anos.
Tipo
Tinto
Corpo
Encorpado
Aromas
e sabores
Baunilha
Geleia de frutas
Couro
Chocolate
Associados
R$ 142,20
R$ 158,00
4x R$ 39,50 sem juros
Ou R$ 150,10 à vista no boleto
4 Unidades = R$ 142,20 por unidade
6 Unidades = R$ 135,88 por unidade
Informações sobre este rótulo

Hoje vamos conversar sobre uma das importantes famílias que, através de suas gerações, ajudaram a construir a vitivinicultura argentina. Originalmente de Gênova, na Itália, a família Basso vem produzindo vinhos no país latino-americano desde 1922. Como muitas outras famílias de imigrantes daquele período, no início eles elaboravam vinhos mais comerciais, vendidos em grandes barris de 220 litros. Alguns anos mais tarde, em 1935, Adolfo Basso e seu irmão Tulio compraram a vinícola Santa Ana, que até então não era muito conhecida, mas nas mãos dos irmãos Basso acabou se tornando uma das maiores produtoras da Argentina. Nessa operação a família Basso pôde começar a trabalhar com rótulos de maior qualidade, porém o foco continuava sendo a produção em grandes volumes.

Os anos passaram, a família cresceu, o sucesso de sua indústria se consolidou e um dos herdeiros deste império do vinho começou a pensar diferente. Sua idéia era criar um projeto autoral e direcionar seus esforços para uma operação mais enxuta, onde a qualidade prevalecesse sobre a quantidade. No final da década de 1990, a partir de uma decisão arrojada, Carlos Basso vendeu a Santa Ana e usou parte desse capital para comprar e restaurar uma pequena vinícola abandonada no bairro de Carrodilla, em Luján de Cuyo, 11km ao sul da cidade de Mendoza. A construção era do ano de 1930 e até 1965 ali funcionara uma vinícola, que esteve inoperante desde então. A família Basso adquiriu a propriedade em 1997 e começou todo o processo de revitalização, resultando no que hoje conhecemos como Bodega Amalia. Diversas paredes antigas foram substituídas por estruturas metálicas com painéis isolantes, ajustados sobre as fundações originais, para que se pudesse preservar a bela aparência do edifício.

Atualmente Carlos Basso e seu filho Adolfo conduzem essa aconchegante vinícola boutique. Apesar de estar sediada em Luján de Cuyo, seus vinhedos estão localizados no fantástico terroir do Valle de Uco, a aproximadamente 100km da capital Mendoza. Um deles fica na microrregião de Tunuyán, mais precisamente na área de Los Árboles, bem aos pés da Cordilheira dos Andes, em uma altitude de 1150 metros acima do nível do mar. Essas vinhas foram plantadas nos anos de 1997 e 1998, em uma paisagem praticamente desértica, com solos arenosos e pedregosos. Já o outro vinhedo está ainda mais ao sul, no departamento de San Carlos, o mais antigo da província de Mendoza, fundado em 1772 e batizado assim por causa de um forte espanhol do século XVIII. Ali as vinhas resistem a invernos rigorosos e verões escaldantes, em uma altitude de 1050 metros acima do nível do mar. Para que se tornasse possível a irrigação por gotejamento nesse vinhedo, a família Basso precisou cavar 180 metros abaixo da superfície até encontrar a água.

 O projeto de Carlos Basso é um livro cujo enredo ainda está sendo escrito, uma história de sucesso, resgate às origens e perpetuidade. Através de seus vinhos e sua visão, podemos provar o conceito de lugar, a força de um legado e a exuberância andina. Vida longa à família Basso.

by Sommelier Rodrigo Ferraz | Direitos Reservados


Newsletter

Receba nossas novidades e promoções por email