Serra do Sudeste Grande Reserva

Vinho Tinto Brasileiro Serra do Sudoeste Grande Reserva 2018

Safra 2018 - 750 ml
Rio Grande do Sul (Serra do Sudeste) - Brasil
Uva(s):
Touriga Nacional,
Harmonização:
Carne de caça, Cordeiro, Culinária mineira, Massa com molho intenso,
Ocasiões:
Para curiosos, Almoço em família, Noite entre amigos,
Amadurecimento:
12 meses em barricas de carvalho.
Temperatura de serviço:
18 °C
Teor Alcoólico:
13.5 %
Volume:
750 ml
Potencial de guarda:
Acima de 10 anos.
Tipo
Tinto
Corpo
Equilibrado
Aromas
e sabores
Frutas vermelhas
Geleia de frutas
Flores
Mineral
Associados
R$ 134,01
De R$ 162,00
R$ 148,90
4x R$ 37,23 sem juros
Ou R$ 141,46 à vista no boleto
4 Unidades = R$ 134,01 por unidade
6 Unidades = R$ 128,05 por unidade
Informações sobre este rótulo

Perante este momento especial da vitivinicultura brasileira, nos sentimos motivados a criar a linha Vinhos de Bicicleta Terroir, com o intuito de desmistificar as diferentes regiões produtoras do país. Através de vinhos típicos e autênticos, fizemos uma seleção de exemplares que simbolizam o caráter climático, geológico e cultural de cada local. 

Em minha mais recente participação como jurado comentarista na Avaliação Nacional de Vinhos, safra 2020, busquei destacar o caminho trilhado até aqui e os pontos que fazem deste um período tão único para a cultura do vinho nacional. Na ocasião, o presidente da Associação Brasileira de Enologia era o amigo e grande profissional Daniel Salvador, que me transferiu a responsabilidade de fazer o discurso de encerramento dentre os comentaristas convidados. Aquele foi um marco importante em minha carreira como sommelier e uma alegria por ser assumidamente um entusiasta do vinho brasileiro. Sendo assim, gostaria de compartilhar com você a essência e as motivações que geraram esse discurso.

Sabemos que nas duas últimas décadas a indústria do vinho passou por reformulações importantes, através de investimentos em pesquisa, mão-de-obra e tecnologia. Isso provocou o amadurecimento desse mercado, o surgimento de novas produtoras nos quatro cantos do país e a criação de rótulos cada vez mais consistentes. No entanto, justo agora que tínhamos acabado de passar pela safra histórica de 2018 e estávamos vivenciando a “safra das safras” em 2020, chegou também a pandemia mundial, gerando medo e incertezas. Tivemos que nos resguardar em nossas casas, a moeda teve abrupta desvalorização e tivemos que repensar as formas de consumo. Em meio ao caos, para muitas pessoas o vinho acabou se transformando em uma bebida amiga e solidária, que conforta, aquece e alegra nossos pensamentos.

 Diante disso tudo, o vinho nacional, que já vinha lutando por mais reconhecimento ao longo dos anos, ganhou um espaço importante entre os próprios brasileiros. Foi então que alguns passaram a dizer que isso seria apenas uma questão de momento, algo passageiro, fugaz. Bom, nesse ponto eu discordo em gênero, número e grau. Acredito de verdade que se trata de uma bonita construção erguida ao longo das últimas décadas e que, mais do que nunca, o povo brasileiro está aberto para revisões e transformações internas, tanto na esfera pessoal como social. Como diz o ditado, “mar calmo nunca fez bom marinheiro”, então nos resta usar essa turbulência de 2020 para evoluir, através de serenidade, resiliência e esperança.

Um brinde à vida e a um futuro mais feliz pra todos nós!

by Sommelier Rodrigo Ferraz | Direitos Reservados 


Newsletter

Receba nossas novidades e promoções por email